Argiloterapia: conheça os prós e contras do tratamento para limpar a pele

Postado em Atualizado em

As argilas podem controlar a oleosidade da pele e ativar a circulação sanguínea, melhorando a celulite.
nativa2KIT ARGILOTERAPIA NATIVA SPA, de O Boticário

O que é argiloterapia_ Engloba os diversos tratamentos estéticos que usam argila dissolvida em bases como água, gel ou loções tônicas, para tratar a pele. Esse material orgânico é rico em oligoelementos, como o silício, que participa da reconstrução dos tecidos; o alumínio e zinco, que atuam na cicatrização; ferro, que produz energia e oxigênio para as células, entre outros. A terapia pode ser feita na pele e nos cabelos.

Indicações da argiloterapia_ A argila tem diversas propriedades: é antioxidante, secativa, adstringente, tensora, reconstrutora, antisséptica e desintoxicante. Por isso, ela pode ser usada para tratamento de acne, após a limpeza de pele, para melhorar celulite (pois ativa a circulação sanguínea), flacidez tissular e seborreia, entre outros usos. Elas podem ser aplicada no rosto, corpo e inclusive nos cabelos. No último caso, controla oleosidade e caspa do couro cabeludo. Cada cor de argila tem propriedades diferentes:

Argila branca_ Ela é rica em alumínio, zinco, potássio, silício, cálcio, ferro. Atua na pele, deixando-a mais macia, relaxada e hidratada. Não tem uma ação tensora forte, mas funciona bem em qualquer tipo de pele.

Argila rosa_ Ela age como um esfoliante, removendo células mortas da pele. Dessa forma, ela pode inclusive ajudar no tratamento de algumas manchas da pele, pois lesiona a pele e permite que ela se regenere.

Argila vermelha_ Com ação antiestresse, ela também é benéfica para a pele por ter ação secativa, hidratante e fortalecedora. Além disso, ela regula a microcirculação da pele e ajuda a reduzir os efeitos do envelhecimento.

Argila dourada_ Essa argila tem ação esfoliante e também de limpeza e purificação da pele, ao remover as células mortas. Além disso, ela é antioxidante, combatendo os efeitos dos radicais livres na pele, que podem ser produzidos por causa dos danos causados por diversos fatores, como cigarro, sol ou poluição. Ela também melhora a elasticidade da pele.

Argila amarela_ Mais indicada para peles oleosas, ela também atua na nutrição, purificação e hidratação, além de melhorar a elasticidade e assim combater o envelhecimento da pele. Ela também pode ser usada para esfoliação.

Argila verde_ Muito indicada para peles oleosas, por retirar parte da oleosidade da pele, como em um peeling natural.

Argila preta_ Rica em enxofre, ela tem ação anti-inflamatória, redutora do estresse, desintoxicante e adstringente. Por contribuir com a renovação celular da pele, ela ajuda a amenizar manchas na pele.

Argila roxa_ Seu nutriente mais destacado é o magnésio, que atua na produção de colágeno. Por isso mesmo, essa argila é capaz de deixar a pele mais lisa e firme, além de poder ser usada como esfoliante.

fonte: http://www.minhavida.com.br/beleza/tudo-sobre/17936-argiloterapia-conheca-os-pros-e-contras-do-tratamento-para-limpar-a-pele

Ser estudante longe de casa é sinónimo de ter maus hábitos alimentares?

Postado em

fast food collection on on white background

Muitos jovens que acedem ao ensino universitário vêem-se obrigados a deixar a casa dos seus pais e viajar para outra cidade. Com quarto alugado em casa particular ou residência universitária, trata-se de uma nova etapa na vida destes jovens e a necessidade de adaptação a novas circunstâncias. A alimentação, outrora assegurada pelos pais, passa a ser uma responsabilidade do estudante. Para alguns, é o respirar e o sentir a liberdade de “poder comer o que quiser, quando quiser”, para outros, trata-se apenas da realização de uma das necessidades humanas básicas.

Terão de organizar-se e planear a sua alimentação de acordo com a sua disponibilidade financeira, de tempo e de gosto, ao mesmo tempo que dedicam parte do dia-a-dia ao estudo e às descobertas inerentes a uma nova vida. No meio de tudo isto, farão estes jovens, uma alimentação correta? Se alguns conseguem abastecer os seus frigoríficos e despensas com gêneros alimentícios e refeições já confeccionadas, provenientes da casa dos pais, a maioria dos estudantes universitários a viver sozinhos ou em grupo, optam por frequentar as cantinas universitárias e/ou cozinhar à medida da sua vontade, tempo e saber. Outros ainda, rendem-se aos prazeres da “fast-food” e “junk-food”. Desde cozinhar de forma rápida o tão típico a afamado prato de “massa com atum”, preparar sanduíches e taças de leite com cereais, ou aquecer no micro-ondas refeições pré-confeccionadas congeladas, por vezes as opções são (ou parecem ser?) limitadas, quando o tempo é curto e a vontade de cozinhar ainda menor.

É nosso dever alertar os estudantes universitários para os problemas de saúde associados à adoção ou manutenção de hábitos alimentares incorretos!

Variedade e cor! Garantir uma nutrição adequada passa por adquirir e ingerir alimentos dos diversos grupos da pirâmide que simboliza a dieta mediterrânica. Frutas frescas, legumes e vegetais, leguminosas, cereais de diferentes tipos, carne e peixe, lácteos…são inúmeras as possibilidades.

E como colocar em prática? É tudo uma questão de mínima organização e planeamento. Em primeiro lugar, é importante que um estudante universitário faça várias refeições ao longo do dia, ajustadas ao tempo útil de aulas, estudo e vida ativa. Para favorecer a concentração é fundamental ingerir alimentos de qualidade, que forneçam a energia necessária ao bom funcionamento do cérebro, assim como assegurar uma correta hidratação para evitar o cansaço físico e mental. Nos períodos de maior cansaço existe a tendência de se optar por alimentos de elevada densidade energética, como chocolates, bolos, salgados, bolachas. Além de serem extremamente ricos em açúcar e em gordura, muitos destes snacks são também excessivamente ricos em sódio (sal). Induzem uma falsa sensação de conforto e de energia que a longo prazo não se verifica, uma vez que grande parte dessa energia não é gasta pelo organismo. Nem todos os jovens são ativos fisicamente o suficiente para colmatar estas escolhas alimentares, sobretudo se forem um hábito.

Durante as horas de estudo e de trabalho a garrafa ou copo de água ou chá não açucarado deve estar sempre presente. Bebericar pequenos goles de cada vez desperta, hidrata e rentabiliza a tarefa que se está a fazer. Alimentos frescos como fruta e vegetais (por exemplo palitos de cenoura ou rodelas de rabanete crus), laticínios pouco gordos, pão de mistura de cereais, bolachas simples com baixo teor de açúcar, tostas secas integrais, devem estar disponíveis para as refeições intermédias. As principais, se forem realizadas no domicílio, devem integrar sopa de legumes ou pratos simples de carne ou peixe, confeccionados com pouca gordura e sem molhos, com uma porção de legumes/vegetais e de cereais ou tubérculos a acompanhar, mas em dose controlada.

Mesmo não sendo chef não é difícil cozinhar refeições rápidas, mas nutricionalmente equilibradas. Massas variadas e arroz, cozidos em água e com uma mínima adição de sal e depois misturados com legumes/vegetais, carne ou peixe desfiado (a sobra de uma refeição anterior) e no fim regados com um fio de azeite ou salpicados com queijo parmesão. Especiarias, ervas e plantas aromáticas como é o caso dos oréganos e do manjericão, podem ser adicionados e conferir um sabor diferente. Podem e devem ser utilizados os alimentos congelados, são de qualidade e conservam as suas propriedades nutricionais. As conservas de peixe ao natural ou inclusivamente em gordura, mas bem escorridas, podem acompanhar leguminosas como o grão e o feijão e serem generosamente guarnecidos com florões de brócolis ou espinafres previamente escaldados. Tomate, alface, rúcula, cenoura,  couve roxa e agrião crus, para rapidamente guarnecer qualquer prato com cor, vitaminas e minerais. A sopa, por sua vez, não é difícil de confeccionar. Seleccionar os legumes pretendidos e cozê-los em água abundante, triturar parte ou homogeneizar a totalidade, adicionar sal e azeite q.b. e está pronta a servir. Caso a refeição principal seja realizada na cantina universitária, o ideal é escolher os pratos mais simples e, sempre que possível, alternar o consumo de carne e de peixe. E quando passar muitas horas do dia fora de casa, porque não levar um leite ou iogurte, uma sanduíche e uma peça de fruta para as refeições intermédias? É dinheiro que se poupa e saúde que se ganha!

 

fotnte: http://www.dnoticias.pt/impressa/diario/opiniao/439806-ser-estudante-longe-de-casa-e-sinonimo-de-ter-maus-habitos-alimentare

Calvície feminina: confira 11 mitos e verdades

Postado em Atualizado em

Estresse, cabelo preso e dietas malucas são considerados os grandes inimigos de quem deseja ter os cabelos fartos

O cabelo é considerado, por muitos, um dos maiores atributos da beleza feminina. Se não é o principal, serve como suporte, ou moldura, para a beleza. Portanto é compreensível que quando os fios começam a cair e a cabeleira rarear, a crise de vaidade ataque a mulher. De acordo com o médico Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia (ciência que estuda os pelos), a principal causa da queda de cabelo nas mulheres está relacionada com problemas hormonais, seguida pelas questões genéticas. “No entanto tenho observado que o número de mulheres com calvície genética vem subindo consideravelmente, por fatores associados como o estresse, depressão e cansaço, que desencadeiam o processo genético”, disse.

Portanto, questões ambientais também influenciam a queda os fios e é preciso desmascarar mitos e reconhecer verdades quando o assunto é cabelo.
2

O cirurgião plástico Carlos Uebel afirma que é necessário prestar atenção às carências nutricionais causadas pelas dietas, pois a deficiência de nutrientes como proteínas, ferro, vitaminas do complexo B e sais minerais também acarretam no enfraquecimento dos fios. “Quem gosta de uma química, precisa ficar atenta também, pois excesso de tintura, progressivas e alisamentos também podem danificar o cabelo”, disse.

A boa notícia é que para quase tudo tem solução. Para descobrir o motivo das quedas, há o exame de microscopia atômica, que detecta o grau de destruição do cabelo. “35% das mulheres já não possuem mais cutícula do cabelo, que foi completamente destruída pelos procedimentos químicos. Mas hoje dispomos de recursos técnicos não invasivos que promovem diagnóstico seguro do couro cabeludo, levando a tratamentos específicos para cada um ”, diz Barsanti.

Entre os tratamentos, há desde cremes capilares, a reposição de vitaminas e medicação via oral. Se nada resolver, parte-se para o microtransplante capilar. “O procedimento consiste na retirada de bulbos capilares da região da nuca. Após isso, esses bulbos são embebidos em uma solução ativada de plasma concentrado com células tronco, que estimulam o crescimento dos fios. Depois de serem estimulados esses fios são implantados, um a um , no paciente, na região calva”, afirma Uebel.

Conheça abaixo 11 mitos e verdades sobre a queda de cabelos:

1) Lavar o cabelo com água filtrada evita a queda dos fios? Mito. O uso de água filtrada não causa e nem evita a queda dos fios de cabelo.

2) Estresse é um dos causadores da queda de cabelo? Verdade. Estresse, cansaço, ansiedade e depressão são uns dos principais fatores de queda de cabelo. Estes fatores, inclusive, podem ativar os genes ligados à calvície feminina.

3) Lavar a cabeça com água quente faz cair os cabelos? Mito. Porém, pessoas que apresentam dermatite seborreica devem evitar a água quente, a qual estimula a produção de oleosidade, de maneira a piorar a doença e acarretar na queda dos fios.

4) Dietas radicais têm como consequência a queda de cabelos? Verdade. A alimentação saudável, rica em nutrientes, é essencial para a saúde dos cabelos. Para não danificar os fios, a dieta deve ser rica em proteínas, vitamina B, ferro e sais minerais.

5) Lavar os cabelos todos os dias acelera a queda? Mito. Os cabelos mais oleosos precisam ser lavados todos os dias para que haja a retirada do sebo produzido pelo couro cabeludo. Porém é importante prestar atenção na quantidade de xampu e creme, que precisa ser pouca, caso contrário a queratina do cabelo é sobrecarregada.

6) Dormir de cabelos molhados faz mal à saúde dos fios? Verdade. Dormir com os fios úmidos e abafados facilita a proliferação de fungos e caspas, que com o tempo levam à queda de cabelo.

7) Prender o cabelo pode facilitar a queda de cabelos? Verdade. Prender o cabelo é ruim em qualquer situação, seja rabo de cavalo, tiara, faixas, bandanas ou apliques. Isto porque cada fio de cabelo é preso por um músculo. Com a tração, o músculo pode ser rompido e o cabelo perdido para sempre.

8) Secador de cabelo e chapinha provocam queda de cabelo? Depende. Se utilizados de forma incorreta, tanto o secador como a chapinha podem danificar o cabelo. No caso do secador, a distância na hora de secar os fios deve ser de pelo menos 30cm. Já a chapinha muito quente quebra e desidrata os fios.

9) O uso de boné faz cair o cabelo? Depende. Usar o boné não seria o fator predominante na queda. Mas como o boné abafa o cabelo e aumenta a seborréia, pode acelerar a queda dos fios.

10) Passar condicionador na raiz do cabelo faz mal? Verdade. Nem tudo que é bom para o cabelo é bom para o couro cabeludo. O condicionador na raiz torna o cabelo mais oleoso e propenso a incidência de caspa e sebo, que em excesso levam a queda dos fios.

11) Cabelo que cai nunca mais volta a crescer? Mito. Já existem tratamentos dermatológicos com resultados significativos para interromper a queda dos cabelos e, até mesmo, cirurgias que fazem com que eles cresçam novamente.

Fonte: saude.ig.com.br/minhasaude/2014-03-09/calvicie-feminina-confira-11-mitos-e-verdades-sobre-a-queda-de-cabelos.html

Como prevenir a caspa

Postado em

A caspa pode ser produzida pelo aparecimento de um fungo no couro cabeludo, descamação excessiva da pele, estresse e fadiga ou inclusive pelo uso de um xampu inadequado. Tanto o fungo como o resto de causantes ativam e aceleram o processo de renovação de células do couro cabeludo. Na verdade, a caspa é simplesmente as células mortas do couro cabeludo. Normalmente este processo é produzido uma vez por mês e as células mortas se eliminam de forma natural ao lavar ou pentear o cabelo. Mas, com o desequilíbrio que os causantes provocam no couro cabeludo, o processo se acelera e as células morrem com uma frequência maior do que a prevista, dando lugar à antiestética caspa. Se quer evitar que isto aconteça, continue lendo e descubra como prevenir a caspa. Se essas partículas brancas chatas já encheram seu cabelo inteiro, mostramos-lhe alguns remédios caseiros para eliminá-las. Tratar a caspa é fundamental para prevenir o aparecimento de outros problemas capilares, pois não só afeta a estética, mas também a saúde.

1

1. Lavar o cabelo com água morna e enxaguar com água fria para ativar a circulação sanguínea do couro cabeludo e evitar o aparecimento do fungo que provoca o desequilíbrio na eliminação de células mortas. Na maioria das vezes, o fungo que provoca o aparecimento de caspa no cabelo é o Malassezia furfur.

2. Usar xampus com ingredientes naturais que não danifiquem o cabelo nem favoreçam o aparecimento de caspa. O extrato de crisálida é um elemento que ajuda a evitar a caspa no cabelo graças às suas propriedades regenerativas, depurativas e calmantes. Por isso, faça o possível para que seu xampu ou máscara capilar tenham este ingrediente.

3. Escove seu cabelo com frequência para evitar o aparecimento e crescimento do fungo que produz a caspa e para eliminar as células mortas do couro cabeludo. Você deve fazê-lo colocando o cabelo para um lado e começando pelas pontas. Desta forma você evita não só a caspa mas também impede o aparecimento de pontas duplas no cabelo.

4. Evite sempre o uso de produtos agressivos para o cabelo, como gel fixador, laca, cera para o cabelo, etc. Ou use com moderação e adequadamente.

5. Uma alimentação saudável e equilibrada é básica para evitar a caspa. Os produtos ácidos favorecem o aparecimento do fungo Malassezia, um dos principais causante da caspa, e aceleram o processo de eliminação de células mortas. Por isso, mantenha uma alimentação rica em frutas e verduras, reduzindo o consumo de cítricos. É muito importante ingerir vitaminas e minerais para evitar a descamação da pele. Evite sempre o consumo de açúcar e alimentos com muita gordura, assim como o consumo de álcool e cigarro, e reduza ao máximo a quantidade de café e chá.

6. O suor excessivo favorece a descamação das células do couro cabeludo, provocando caspa no cabelo. Por isso, você deve eliminá-lo o quanto antes. Depois de uma jornada de exercício intenso, lave seu cabelo rapidamente para evitar o aparecimento de caspa.

7. O estresse e a ansiedade também favorecem o aparecimento de caspa. Por isso você deve tentar relaxar, fazer exercício para se desfazer de todas as tensões e problemas que lhe perturbam, para poder evitar a caspa no cabelo. Veja algumas soluções que temos para si para combater o stress.

Aplique todos estes truques para prevenir a caspa e tenha um cabelo impecável e saudável. A saúde capilar é muito importante para evitar o aparecimento de doenças como a seborreia.

fonte: http://beleza.umcomo.com.br/articulo/como-prevenir-a-caspa-6447.html

8 efeitos inimagináveis do estresse

Postado em

Quem nunca se estressou a ponto de querer ir embora do tranalho ou se afastar das pessoas simplesmente porque estava irritadíssimo com o mundo? Tudo bem, isso pode acontecer vez ou outra. No entanto, existem pessoas que ficam estressadas diariamente e que não conseguem levar uma vida tranquila de jeito nenhum. O que esses indivíduos não sabem é que o estresse não é prejudicial só ao seu humor, mas em diversas funções do organismo, como as oito que mostraremos a seguir:

1 – Perda de memória_ O estresse interfere negativamente nas nossas funções cognitivas, gerando perda de memória e de concentração, o que pode causar também uma queda na produtividade.

2 – Sistema imunológico mais vulnerável_ O estresse te deixa mais vulnerável a alguns tipos de doenças e resfriados, porque diminui as suas funções imunológicas – o que pode ser especialmente prejudicial durante o inverno, já que as chances de pegar uma gripe forte ficam ainda maiores.

3 – Pessoas menos atraentes_ Uma pesquisa revelou que homens e mulheres enxergam pessoas muito estressadas como sendo menos atraentes do que pessoas tranquilas.

4 – Insatisfação sexual_ O estresse pode interferir na qualidade da sua vida sexual, tanto fazendo com que você perca o desejo, quanto diminuindo a satisfação que você normalmente teria numa relação.

5 – Aparência_ Você pode comprar todos os cremes rejuvenescedores que quiser, mas se for uma pessoa extremamente estressada, acabará envelhecendo mais rápido do que gostaria, porque o estresse pode fazer com que as suas células envelheçam mais rápido.

6 – Hormônios_ Especialmente nas mulheres, o estresse pode causar um enorme desequilíbrio hormonal: o estrogênio e a progesterona têm as suas produções diminuídas durante períodos de estresse e o cortisol aumenta. Assim, os humores e a disposição sexual são afetados. Estudos indicam que o estresse pode aumentar o acne, gerando, em casos mais graves, até mesmo psoríases, que são inflamações crônicas da pele.

7 – Distúrbios do sono_ O estresse pode aumentar sua insônia. Se ele estiver sendo causado por problemas pessoais passageiros, como um período de adaptação ou a morte de alguém querido, esse sintoma se afastará com o tempo, entretanto, se for causado por uma condição permanente, poderá causar problemas futuros.

8 – Ganho de peso_ Achou que para se livrar dos quilinhos extra você só tinha que malhar e ter uma alimentação saudável? Errado: o estresse pode fazer com que você engorde, já que ele estimula a produção de cortisol que, por sua vez, pode causar a expansão de células de gordura.

 

fonte: http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2014/01/29/1078418/conheca-os-8-efeitos-inimaginaveis-do-estresse.html