Óleo, Loção e creme: É tudo a mesma coisa?

 

imageMesmo quem está antenado com os cuidados da pele pode se atropelar na hora de escolher entre óleos, loções e diferentes cremes. Para usar o produto certo, é preciso levar em conta o tipo de pele, os efeitos de cada um e até mesmo a temperatura do dia.

Óleos_ Mais indicados para usar durante o banho, especialmente se você gosta de banhar-se com água bem quente. “O óleo não hidrata, mas evita a perda de água”, ressalta a diretora da clínica de estética Belle Santé, Helua Gazi. Em dias quentes, prefira banhos frios, que agridem menos a pele, e evite os óleos. Não é nada fácil usá-los no calor, quando o suor já é intenso.

Creme_ É o grande coringa. Qualquer pessoa que sinta sua pele ressecada pode usá-lo. “De preferência, todos os dias após o banho”, afirma Helua. Os hidratantes repõem a água e a gordura que a pele perde normalmente.

Loções_ São, em geral, menos espessas que um creme. Indicadas para todo tipo de pele, principalmente as secas, contêm capacidade de reter a água e de fornecer oleosidade ao mesmo tempo. A loção, porém, possui menos cremosidade.

fonte: https://www.portalvital.com/beleza/corpo/oleo-locao-creme-e-tudo-a-mesma-coisa

8 Remédios caseiros definitivos para o calcanhar rachado

1

O calcanhar rachado é um símbolo claro de falta de cuidado com os pés, desidratação e, em algumas ocasiões, de algumas questões de saúde. Este problema se caracteriza por afetar, principalmente, a camada externa da pele, ainda que às vezes possa penetrar profundamente na derme e gerar uma dor intensa. Costuma ocorrer quando a pele que reveste o calcanhar se resseca, não é hidratada corretamente e recebe a pressão do corpo sobre ela. Em casos leves, este problema também pode indicar uma deficiência de zinco e de ácidos graxos ômega 3.

TRATAMENTO DE LIMÃO E GLICERINA_ Este tratamento natural ajuda a suavizar a pele do calcanhar e reduz significativamente o ressecamento que causa o calcanhar rachado.
Como fazer: Coloque em um recipiente uma boa quantidade de água quente, sal grosso, glicerina, suco de limão e água de rosas. Em seguida, basta submergir os pés por um período entre 15 e 20 minutos. Utilize uma pedra-pomes para suavizar a pele seca dos calcanhares e facilitar a eliminação de calos. Prepare uma mistura de glicerina, suco de limão e água de rosas e aplique-a diretamente sobre a pele dos calcanhares. Coloque meias e deixe agindo durante toda a noite. Repita o mesmo tratamento durante quatro ou cinco dias seguidos.

ÓLEOS SAUDÁVEIS_ Muitas vezes, a falta de hidratação e o ressecamento na pele dos calcanhares são a causa principal do aspecto rachado. O uso de óleos vegetais essenciais é um grande remédio para hidratar os pés e tratar este problema.
Como fazer_ Utilize uma boa quantidade de óleo de coco ou azeite de oliva para hidratar profundamente a pele ressecada dos calcanhares. Uma vez aplicado, coloque meias de algodão durante toda a noite, para que o óleo atue enquanto você dorme. Lave os pés na manhã seguinte e repita o tratamento todos os dias.

MÁSCARA DE BANANA E ABACATE_ Esta máscara de banana e abacate ajuda a hidratar a pele dos calcanhares rachados e melhora notavelmente a sua aparência.
Como fazer_ Prepare uma pasta com uma banana e um abacate maduro. Aplique a mistura diretamente sobre a pele do calcanhar rachado, deixe agir durante meia hora e enxágue.

VASELINA E SUCO DE LIMÃO_ A vaselina e o limão atuam profundamente na pele ajudando a suavizar os calos reduzindo o problema dos calcanhares rachados.
Como fazer_ Deixe os calcanhares submergidos em água quente com sal durante 15 ou 20 minutos. Seque bem os pés e unte os calcanhares com uma colher de suco de limão e vaselina. Cubra os pés com meias de algodão e deixe agir durante toda a noite.

TRATAMENTO DE PARAFINA_ Este remédio natural funciona como uma boa terapia quando o calcanhar rachado causa dor e diferentes incômodos.
Como fazer_ Misture um pouco de parafina com óleo de coco ou de mostarda. Esquente em banho-maria, misture tudo muito bem e deixe esfriar. Quando estiver morno, coloque a mistura sobre os calcanhares, cobrindo os pés com meias e deixando agir durante toda a noite.

2MEL PARA SUAVIZAR_ O mel é um ingrediente com propriedades muito benéficas para a pele, que ajuda a hidratar e suavizar de forma eficaz.
Como fazer_ Misture uma xícara de mel em um copo de água morna. Mantenha os pés submergidos nesta mistura entre 15 e 20 minutos e faça uma massagem.

ESFOLIANTE DE FARINHA DE ARROZ_ Este esfoliante de farinha de arroz ajuda a suavizar a pele do calcanhar rachado,reduz os calos e melhora notavelmente o problema.
Como fazer_ Prepare uma mistura com 2 ou 3 colheres de farinha de arroz, vinagre de mel e sidra de maçã. Mantenha os pés submergidos em água morna durante 20 minutos e, em seguida, aplique esta pasta esfoliante com suaves massagens circulares.

ESFOLIANTE DE AVEIA_ Este esfoliante natural de aveia ajuda a suavizar a pele do calcanhar, reduz os calos e contribui para que os pés tenham uma aparência melhor.
Como fazer_ Prepare uma pasta com algumas colheres de aveia em pó e um pouco de óleo de jojoba. Aplique na área afetada fazendo uma massagem suave. Deixe agir durante 10 minutos e retire-a com água morna. Este esfoliante natural de aveia ajuda a suavizar a pele do calcanhar, reduz os calos e contribui para que os pés tenham uma aparência melhor.

fonte: http://papodeesquinas.blogspot.com.br/2015/09/8-remedios-caseiros-definitivos-para-o.html

Noni _ uma solução natural

1

Morinda citrifolia ou simplesmente o Noni, ganhou popularidade em todo o mundo como uma possível cura para tudo. Estudos demonstraram substâncias promotoras da saúde, alguns dos quais já foram isolados e identificados. Estas descobertas são apenas a ponta do iceberg, como a lista de doenças que são tratáveis ​​por Noni continua a crescer mais.

O consumo de Noni produz efeitos benéficos específicos sobre os vários sistemas do corpo. O Noni foi conhecido primeiro por sua eficácia no tratamento de infecções de pele. Taitianos têm usando os frutos, folhas e casca no tratamento de feridas, feridas, abcessos, furúnculos, úlceras, infecções fúngicas, micoses e infecções do couro cabeludo. Além disso, o suco de Noni pode ser usado como um champô, pois acrescenta brilho ao cabelo, e trata cabelo secura e piolhos.

O suco de Noni tem um efeito imune-estimulante. Estudos apontam que a ingestão regular promove um aumento de glóbulos brancos no sangue a produção, por conseguinte, aumentando a imunidade contra as doenças. Tem também um efeito anti-inflamatório em condições, tais como artrite, gota, abcessos e mastite.

As propriedades anticâncer do Noni são devidos à presença de antioxidantes tais como carotenóides, flavonóides e compostos como antraquinonas (especificamente damnacanthal) e escopoletina. Estes também são responsáveis ​​pela sua eficácia na inibição da proliferação de células tumorais e na prevenção da disseminação do tumor (metástases).

O suco de Noni é usado como desinfetante para feridas, cortes e ossos quebrados. Antraquinonas são responsáveis ​​por suas propriedades antibióticas. Infecções de Staphylococcus estão incluídos entre aqueles tratável por Noni. Ele também possui propriedades antipiréticas. Em vez de comprar antibióticos e medicamentos para febre, Noni é bem eficaz para tratar a febre e infecções bacterianas.

O Noni é eficaz no tratamento de doenças respiratórias comuns, como resfriado, tosse, dor de garganta, alergias e asma. O consumo regular de suco de Noni promove a digestão eficiente através da liberação imediata de sucos digestivos no estômago e no intestino delgado, a estimulação do fluxo de bile da vesícula biliar e a regulação da evacuação. Também trata queixas comuns, como constipação, diarréia, náuseas, vômitos, úlceras gástricas, intoxicação alimentar, disenteria e cólica. O suco de Noni também mata vermes intestinais e outros parasitas. É usado como um tratamento adjuvante para a icterícia e outras doenças hepáticas. Além de sua eficácia no tratamento de infecções do trato urinário, o consumo regular de suco de Noni ajuda no tratamento de doenças sexualmente transmissíveis.

fonte: http://www.progresso.com.br/especiais/d-mais/beneficios-do-noni-para-a-saude

Argiloterapia: conheça os prós e contras do tratamento para limpar a pele

As argilas podem controlar a oleosidade da pele e ativar a circulação sanguínea, melhorando a celulite.
nativa2KIT ARGILOTERAPIA NATIVA SPA, de O Boticário

O que é argiloterapia_ Engloba os diversos tratamentos estéticos que usam argila dissolvida em bases como água, gel ou loções tônicas, para tratar a pele. Esse material orgânico é rico em oligoelementos, como o silício, que participa da reconstrução dos tecidos; o alumínio e zinco, que atuam na cicatrização; ferro, que produz energia e oxigênio para as células, entre outros. A terapia pode ser feita na pele e nos cabelos.

Indicações da argiloterapia_ A argila tem diversas propriedades: é antioxidante, secativa, adstringente, tensora, reconstrutora, antisséptica e desintoxicante. Por isso, ela pode ser usada para tratamento de acne, após a limpeza de pele, para melhorar celulite (pois ativa a circulação sanguínea), flacidez tissular e seborreia, entre outros usos. Elas podem ser aplicada no rosto, corpo e inclusive nos cabelos. No último caso, controla oleosidade e caspa do couro cabeludo. Cada cor de argila tem propriedades diferentes:

Argila branca_ Ela é rica em alumínio, zinco, potássio, silício, cálcio, ferro. Atua na pele, deixando-a mais macia, relaxada e hidratada. Não tem uma ação tensora forte, mas funciona bem em qualquer tipo de pele.

Argila rosa_ Ela age como um esfoliante, removendo células mortas da pele. Dessa forma, ela pode inclusive ajudar no tratamento de algumas manchas da pele, pois lesiona a pele e permite que ela se regenere.

Argila vermelha_ Com ação antiestresse, ela também é benéfica para a pele por ter ação secativa, hidratante e fortalecedora. Além disso, ela regula a microcirculação da pele e ajuda a reduzir os efeitos do envelhecimento.

Argila dourada_ Essa argila tem ação esfoliante e também de limpeza e purificação da pele, ao remover as células mortas. Além disso, ela é antioxidante, combatendo os efeitos dos radicais livres na pele, que podem ser produzidos por causa dos danos causados por diversos fatores, como cigarro, sol ou poluição. Ela também melhora a elasticidade da pele.

Argila amarela_ Mais indicada para peles oleosas, ela também atua na nutrição, purificação e hidratação, além de melhorar a elasticidade e assim combater o envelhecimento da pele. Ela também pode ser usada para esfoliação.

Argila verde_ Muito indicada para peles oleosas, por retirar parte da oleosidade da pele, como em um peeling natural.

Argila preta_ Rica em enxofre, ela tem ação anti-inflamatória, redutora do estresse, desintoxicante e adstringente. Por contribuir com a renovação celular da pele, ela ajuda a amenizar manchas na pele.

Argila roxa_ Seu nutriente mais destacado é o magnésio, que atua na produção de colágeno. Por isso mesmo, essa argila é capaz de deixar a pele mais lisa e firme, além de poder ser usada como esfoliante.

fonte: http://www.minhavida.com.br/beleza/tudo-sobre/17936-argiloterapia-conheca-os-pros-e-contras-do-tratamento-para-limpar-a-pele

Ser estudante longe de casa é sinónimo de ter maus hábitos alimentares?

fast food collection on on white background

Muitos jovens que acedem ao ensino universitário vêem-se obrigados a deixar a casa dos seus pais e viajar para outra cidade. Com quarto alugado em casa particular ou residência universitária, trata-se de uma nova etapa na vida destes jovens e a necessidade de adaptação a novas circunstâncias. A alimentação, outrora assegurada pelos pais, passa a ser uma responsabilidade do estudante. Para alguns, é o respirar e o sentir a liberdade de “poder comer o que quiser, quando quiser”, para outros, trata-se apenas da realização de uma das necessidades humanas básicas.

Terão de organizar-se e planear a sua alimentação de acordo com a sua disponibilidade financeira, de tempo e de gosto, ao mesmo tempo que dedicam parte do dia-a-dia ao estudo e às descobertas inerentes a uma nova vida. No meio de tudo isto, farão estes jovens, uma alimentação correta? Se alguns conseguem abastecer os seus frigoríficos e despensas com gêneros alimentícios e refeições já confeccionadas, provenientes da casa dos pais, a maioria dos estudantes universitários a viver sozinhos ou em grupo, optam por frequentar as cantinas universitárias e/ou cozinhar à medida da sua vontade, tempo e saber. Outros ainda, rendem-se aos prazeres da “fast-food” e “junk-food”. Desde cozinhar de forma rápida o tão típico a afamado prato de “massa com atum”, preparar sanduíches e taças de leite com cereais, ou aquecer no micro-ondas refeições pré-confeccionadas congeladas, por vezes as opções são (ou parecem ser?) limitadas, quando o tempo é curto e a vontade de cozinhar ainda menor.

É nosso dever alertar os estudantes universitários para os problemas de saúde associados à adoção ou manutenção de hábitos alimentares incorretos!

Variedade e cor! Garantir uma nutrição adequada passa por adquirir e ingerir alimentos dos diversos grupos da pirâmide que simboliza a dieta mediterrânica. Frutas frescas, legumes e vegetais, leguminosas, cereais de diferentes tipos, carne e peixe, lácteos…são inúmeras as possibilidades.

E como colocar em prática? É tudo uma questão de mínima organização e planeamento. Em primeiro lugar, é importante que um estudante universitário faça várias refeições ao longo do dia, ajustadas ao tempo útil de aulas, estudo e vida ativa. Para favorecer a concentração é fundamental ingerir alimentos de qualidade, que forneçam a energia necessária ao bom funcionamento do cérebro, assim como assegurar uma correta hidratação para evitar o cansaço físico e mental. Nos períodos de maior cansaço existe a tendência de se optar por alimentos de elevada densidade energética, como chocolates, bolos, salgados, bolachas. Além de serem extremamente ricos em açúcar e em gordura, muitos destes snacks são também excessivamente ricos em sódio (sal). Induzem uma falsa sensação de conforto e de energia que a longo prazo não se verifica, uma vez que grande parte dessa energia não é gasta pelo organismo. Nem todos os jovens são ativos fisicamente o suficiente para colmatar estas escolhas alimentares, sobretudo se forem um hábito.

Durante as horas de estudo e de trabalho a garrafa ou copo de água ou chá não açucarado deve estar sempre presente. Bebericar pequenos goles de cada vez desperta, hidrata e rentabiliza a tarefa que se está a fazer. Alimentos frescos como fruta e vegetais (por exemplo palitos de cenoura ou rodelas de rabanete crus), laticínios pouco gordos, pão de mistura de cereais, bolachas simples com baixo teor de açúcar, tostas secas integrais, devem estar disponíveis para as refeições intermédias. As principais, se forem realizadas no domicílio, devem integrar sopa de legumes ou pratos simples de carne ou peixe, confeccionados com pouca gordura e sem molhos, com uma porção de legumes/vegetais e de cereais ou tubérculos a acompanhar, mas em dose controlada.

Mesmo não sendo chef não é difícil cozinhar refeições rápidas, mas nutricionalmente equilibradas. Massas variadas e arroz, cozidos em água e com uma mínima adição de sal e depois misturados com legumes/vegetais, carne ou peixe desfiado (a sobra de uma refeição anterior) e no fim regados com um fio de azeite ou salpicados com queijo parmesão. Especiarias, ervas e plantas aromáticas como é o caso dos oréganos e do manjericão, podem ser adicionados e conferir um sabor diferente. Podem e devem ser utilizados os alimentos congelados, são de qualidade e conservam as suas propriedades nutricionais. As conservas de peixe ao natural ou inclusivamente em gordura, mas bem escorridas, podem acompanhar leguminosas como o grão e o feijão e serem generosamente guarnecidos com florões de brócolis ou espinafres previamente escaldados. Tomate, alface, rúcula, cenoura,  couve roxa e agrião crus, para rapidamente guarnecer qualquer prato com cor, vitaminas e minerais. A sopa, por sua vez, não é difícil de confeccionar. Seleccionar os legumes pretendidos e cozê-los em água abundante, triturar parte ou homogeneizar a totalidade, adicionar sal e azeite q.b. e está pronta a servir. Caso a refeição principal seja realizada na cantina universitária, o ideal é escolher os pratos mais simples e, sempre que possível, alternar o consumo de carne e de peixe. E quando passar muitas horas do dia fora de casa, porque não levar um leite ou iogurte, uma sanduíche e uma peça de fruta para as refeições intermédias? É dinheiro que se poupa e saúde que se ganha!

 

fotnte: http://www.dnoticias.pt/impressa/diario/opiniao/439806-ser-estudante-longe-de-casa-e-sinonimo-de-ter-maus-habitos-alimentare