É verdade que os cravos na nossa pele são aracnídeos?

Na verdade os cravos são poros entupidos de gordura (sebo). A nossa pele é recoberta por uma proteína que protege contra o ressecamento, chamada queratina. Ás vezes a queratina produzida atrapalha a saída dos poros, o que pode ser agravado como uso de produtos de beleza muito gordurosos. A pontinha preta do cravo é resultado da reação de oxidação de uma quantidade grande da proteína com o oxigênio do ar. Mesmo com o poro fechado a glândula sebácea continua produzindo gordura, ela então vai se acumulando no poro formando o cravo.

11

Mas essa história do aracnídeo não é um mito. Ela tem um fundo de verdade! O que acontece é que algumas bactérias, como a Propionobacterium acne, e o ácaro Demodex folliculorum, se aproveitam do entupimento dos poros para fazer dali um ambiente ideal para procriar. Esse ácaro, como todo aracnídeo, tem 8 perninhas sim, mas é muitíssimo pequeno. A presença desse bichinho é mais comum no folículo piloso, onde ele pode viver de 14 a 18 dias e colocar até 25 ovos em um único folículo. Para nosso desespero o local mais comum para o Demodex viver é na superfície do canal do ouvido, onde podem viver populações desses pequenos seres, mas eles podem viver em qualquer folículo piloso, inclusive nos pelos do rosto.

12

A relação entre o Demodex e o cravo não é necessária. Podemos ter a pele infestada desses pequenos animais, mesmo sem ter cravos e existem pessoas com cravos que não possuem esses ácaros na pele. Mas com ajuda de bactérias a presença do Demodex nos poros entupidos pode causar uma infecção e o agravamento de um cravo, o que causa uma reação do organismo resultando em uma espinha.

13Eles podem viver principalmente associados aos folículos pilosos. Nessa imagem estão representados na cor.

fonte: http://diariodebiologia.com/2011/10/e-verdade-que-os-cravos-na-nossa-pele-sao-aracnideos/#.Um4_lXA3v4U

Envelhecimento Facial

O envelhecimento facial é um processo amplo que ocorre em 3 dimensões e é resultado de múltiplos fatores:
•    Diminuição da renovação celular, com perda da elasticidade e alteração da textura;
•    Perda do contorno e volume facial pela ação gravitacional, reabsorção óssea e remodelação da gordura facial;
•    Surgimento das rugas dinâmicas pela ação da musculatura facial;
•    Surgimento das rugas estáticas pela evolução das rugas dinâmicas pela degradação do colágeno e ácido hialurônico na pele;
•    Surgimento de manchas decorrentes de exposição solar ao longo dos anos. Esse processo se torna mais acelerado, pela sensibilidade individual à radiação ultravioleta.

Alguns fatores podem acelerar o processo de envelhecimento cutâneo: alimentação não balanceada, fumo, ingestão de bebidas alcoólicas, exposição solar incorreta, estresse e predisposição genética. A associação desses fatores leva ao agravo do envelhecimento cutâneo.

peleA dermatologia evoluiu muito na prevenção e nos tratamentos de rejuvenescimento facial. Contamos com um arsenal de técnicas e tratamentos que restauram e/ou mantêm a pele jovem e saudável. É importante entender que, na maioria dos casos, é necessária a associação de técnicas para um melhor resultado. Geralmente é necessário tratar a perda do volume facial e tratar textura; ou tratar rugas dinâmicas e manchas. Cada caso é individualmente avaliado e tratado e, por isso, é traçado um plano de tratamento individualizado.

Os tratamentos atuais vão desde o  uso da toxina botulínica, para atenuar as rugas de expressão, preenchimentos para reposição do volume facial perdido, estimuladores de colágeno, hidratação profunda, lasers e radiofrequência para estímulo de colágeno, peelings e luz intensa pulsada para melhora de textura e manchas, entre outros.

A associação dessas técnicas leva a formação de um novo colágeno com consequente desaceleração do processo de cronescência (envelhecimento), mas é necessário sempre manter o uso de cosmecêuticos tópicos e em alguns casos suplementos orais. A manutenção do tratamento vai variar de 4, 6 ou 12 meses dependendo da necessidade individual.

É importante ter em mente que o processo de envelhecimento é contínuo e progressivo. Sabemos que a partir dos 25 anos já devemos iniciar a prevenção e após os 35/40 há uma degradação mais acelerada desse processo. Sendo assim, quanto mais precocemente começarmos a prevenção, maior a chance de envelhecermos bem e com face harmoniosa.

fonte: http://metropolerevista.com.br/bem-estar/envelhecimento-facial/23671